terça-feira, 19 de maio de 2015

Minha Família Meu Nome Minha História...

Arquivo Pessoal:
      Alguns meses antes do nascimento de DAVID BARBOSA, a família se reuniram para escolher seu nome o pai Admilson Barbosa, a mãe Edilene Maria e os irmãos Carlos Barbosa e Jameson Barbosa, foi tantas sugestões e opções de nomes que naquele dia não foi decido como o mais novo integrante da família iria se chamar, só no dia 25 de outubro de 2010 as 11:06 hs, liguei do hospital para o Jameson e Carlos, que estavam em casa super ansiosos e falei o DAVID, nasceu e está tudo bem!!! Então foi assim a escolha do nome de DAVID BARBOSA

















A família é o amor que plantamos em solo fértil, com raíz forte e que cultivamos e cuidamos constantemente, para que brotem belas flores e bons frutos. Não é a toa que se compara a família a uma árvore. Afinal, o que é a família senão vários galhos unidos pela mesma raíz, e sustentados por um tronco comum, que precisa ser forte para suportar as intempéries da vida...
Era impossível uma família com tanta gente não ter opiniões e pensamentos diferentes, mas hoje acho que isso nos completa, e não impede de nos amarmos mutuamente. Agradeço todos os dias a Deus pela família que tenho, e não acho que mereço nem mais nem menos, cada um tem sua peculiaridade que me faz aprender sempre algo diferente a cada dia...


terça-feira, 28 de abril de 2015

Glossário / Fotográfico...

                                      Siglas, Termos e Expressões
O que é balanço de branco? Para que serve o CCD? qual a importância da compensação de exposição para o resultado de uma foto? Será que o flash das câmeras compactas pode ser ajustado? Com este glossário das principais definições do mundo da fotografia você vai tirar essas e outras dúvidas de um jeito prático e rápido. E também vai aprender os termos equivalentes em inglês, para facilitar sua compreensão na hora em que estiver ajustando sua máquina fotográfica ou consultando o manual de instruções.
                             

ABERTURA:
Orifício circular localizado no interior da objetiva. Controla a quantidade de luz que atravessa o conjunto ótico. É expressa pelo chamado número F (ou f-stop). Quanto menor o número f, maior a abertura. Exemplo: se a abertura de uma câmera digital varia entre f-2 e f-3, f-2 representa a maior abertura (mais quantidade de luz) e f-32, a menor (menos quantidade de luz).

ADC:
Sigla proveniente de analog to digital converter (conversor analógico-digital). Dispositivo localizado nas placas de circuitos da câmera digital. Mede voltagens elétricas e atribui valores digitais a elas.

ANTIVIBRAÇÃO:
Tecnologia de estabilização da imagem existente em câmeras digitais mais modernas que compensa a vibração na hora do clique. Resulta em melhor qualidade de fotos tiradas em condições mínimas de luz mesmo sem o uso de tripé. Em inglês, ant-shake.

BALANÇO DE BRANCO:
Recurso que permite ajusta manual ou automaticamente a câmera digital ao tipo de luz existente. Exemplos de ajustes: luz do dia, nublado, tungstênio ou florescente. Em inglês, white balance: WB.

CABO USB:
Sigla de Universal Serial Bus. O cabo USB permite conectar a câmera ao computador ou a outros equipamentos que disponham da mesma entrada, como impressoras, para transferência de dados.

CARTÃO DE MEMÓRIA:
Dispositivo de armazenamento de arquivos digitais. Há diversos modelos, como xD-picture, Smartmedia e Compact Flash. Em inglês, memory card.

CCD:
Sigla proveniente de charge couple devise (dispositivo de carga acoplada). Sensor ótico presente em câmeras digitais e filmadoras que transforma luz em sinais elétricos, digitalizando a imagem.

CENAS PRÉ-PROGRAMADAS:
Câmeras digitais dispõem de opções de fotos pré-programadas conforme a situação e que variam de acordo com a marca e o modelo da máquina, Entre elas, estão retrato, paisagem, pôr do sol e esporte. Em inglês: scene ou scene mode.

CLOSE:
Foto em plano fechado, com o objeto bem aproximado da lente da câmera. Exemplo: foto de rosto.

COMPENSAÇÃO DE EXPOSIÇÃO:
Recurso existente em grande parte das câmeras digitais compactas, a compensação de exposição permite regular a intensidade de luz de uma cena. É dada pelo ajuste de EV (exposure value) que varia, em geral, de -2 a +2. Quanto mais baixo o EV, mais escura é a cena. quanto mais alto o EV. mais clara é a cena. Em inglês, exposure value. Sigla: EV.

COMPOSIÇÃO:
Disposição dos elementos em uma cena (primeiro plano, fundo, tema principal, objetos secundários), de modo a compor um enquadramento harmonioso.

CONTRALUZ:
Na fotografia é a situação em que a luz incide na direção da lente da câmera. Exemplo uma foto criada no pôr do sol, a luz do sol faz o objeto se destacar deixando-o escuro..

DISPARO CONTÍNUO:
Função disponíveis em algumas câmeras digitais que permite tirar fotos em sequência, enquanto o botão do disparador está pressionado. Ideal para cenas de movimento. Em inglês: burst.

DISTÂNCIA FOCAL:
De modo simplificado, é o quanto o fotógrafo é capaz  de ver a partir da lente da câmera. Medida em milímetros, é a distância entre o ponto de convergência da luz e o ponto onde a imagem é projetada. Quanto menor a distância focal,maior o ângulo de visão da lente. Ao contrário, quanto maior a distância focal,menor o ângulo.

EXPOSIÇÃO:
Intervalo de tempo em que a luz atinge o sensor de uma câmera digital. Quando a exposição é muito longa, a luz é captada por mais tempo pelo sensor, e pode ocorrer sobra-exposição em consequência, a foto fica clara demais. Se, ao contrário, o tempo de exposição for muito curto, pode ocorrer subexposição assim, a foto tende ficar bem escura.

FLASH:
Instrumento que  emite luz simultaneamente ao disparo da câmera. Em geral, as máquinas fotográficas com flash embutido dispõem de três modos de uso. No modo de ajuste automático (flash auto ), o flash é disparado automaticamente, conforme as condições de luz ambiente. No modo de flash ativado (flash on ou fill in), ele é disparado sob qualquer circunstância como luz de preenchimento. No modo de flash desligado (flash off). ele não é ativado. Alguns modelos de câmeras digitais possibilitam regular a intensidade do flash.



FOCO AUTOMÁTICO:
Mecanismo presente na câmera digital para determinar o foto por meio de sensores que calculam a distância dos objetos de modo a garantir sua nitidez. em inglês, autofocus. Sigla AF.

FOTÔMETRO:
Dispositivo da câmera digital responsável pela medição da quantidade e intensidade de luz. As informações captadas são transformadas em sinais elétricos. No modo automático, o fotômetro determina os ajustes ideais de abertura e velocidade do obturador, de acordo com as condições de luz ambiente.

HISTOGRAMA:
Gráfico que informa a distribuição de luminosidade de determinada cena, dos tons mais claros aos mais escuros. A partir do gráfico, o fotômetro pode ajustar o brilho e o contraste, entre  outras variáveis. O recurso de histograma é disponibilizado por alguns modelos de câmeras digitais compacta.

ISO:
Abreviação de International Standards Organization e equivalente à antiga ASA (American Standards Association). Nas câmeras fotográficas mecânicas, o ISO indica a sensibilidade do filme. Já nas câmeras digitais equivale à sensibilidade do sensor. As opções de ISO diferem de acordo com a marca e o modelo da câmera - pode variar, por exemplo, entre 64 e 3.200. Mas, de modo geral, incluem ISO 100, 200, 400, 800. No modo automático, câmera aumenta o valor de ISO á medida que a luz ambiente diminui. Níveis muito altos de ISO geram "ruídos", que prejudicam a qualidade da imagem.

JPEG:
Também grafado como JPG, é um popular formato de arquivo de imagem. O padrão JPEG comprime as imagens e, por isso, é indicado para gravação de fotos.

MEGAPIXEL:
Medida equivalente a 1 milhão de pixels. Em câmeras digitais, indica o grau de resolução máxima de uma imagem captada por sensores. A resolução, por sua vez, resulta da multiplicação do número de pixels horizontais pelo número de pixels verticais de uma imagem. Exemplo: uma câmera de 4 megapixels tem resolução máxima de 2.560 x 1.600, o que permite gerar imagens impressas com dimensões de 21 cm x 13 cm, garantia de alta qualidade fotográfica.

MODO DE COR:
O recurso presente em alguns modelos de câmeras digitais permite modificar as cores originais de uma cena. Apresenta opções de captar imagens em preto-e-branco ou com outros efeitos fotográficos, como sépia, que dá a aparência de foto envelhecida, ou, ainda, uso de filtros (vermelho, azul, amarelo, entre outros). Também chamado filtro de cor. Em inglês: color mode ou color filter.

MODO MACRO:
Opção disponível nas câmeras digitais para fotografar objetos muito próximos da lente sem perder a nitidez. Alguns modelos de câmera fotográfica são capazes de garantir o foco a apenas 1 centímetro do elemento. Em inglês: macro mode.

NITIDEZ:
nível de detalhamento perceptível em uma imagem. Quanto maior a nitidez, maior a quantidade de detalhes visíveis. Atenção: devido às pequenas dimensões da tela de LCD da câmera nem sempre é possível visualizar as diferenças de detalhamentos. Por isso, o melhor modo de verificar a nitidez é pelo monitor do computador.

OBJETIVA:
Conjunto de lentes por onde a luz passa e é captada nos sensores da câmera digital. Nas câmeras  compactas, a objetiva é fixa e, em geral, dispõe de recurso de zoom, para aproximar o objeto. Já nas câmeras profissionais, o conjunto ótico pode ser trocado - existem objetivas grande-angulares, que oferecem maior campo de visão; teleobjetivas, que aproximam objetos distantes; e objetivas-zoom, cuja distância focal é variável, entre outros modelos.

OBTURADOR:
Dispositivo que controla o tempo de exposição. Em câmeras digitais compactas, a velocidade do obturador costuma ser determinada automaticamente. alguns modelos de câmeras digitais permitem seu ajuste manual. A velocidade varia entre milésimos de segundo a vários minutos. Para captar com nitidez um carro em alta velocidade, deve-se ajustar uma velocidade alta de obturador. Ao contrário, para dar o efeito "véu de noiva" a uma foto de cachoeira, é preciso diminuir a velocidade do obturador.

PROFUNDIDADE DE CAMPO:
Região de foco aceitável de uma imagem. A profundidade de campo varia em razão da abertura, da distância focal e do ponto de focagem. Exemplo: uma foto com primeiro plano nítido e fundo desfocado tem pouca profundidade de campo.

RAW:
Formato de arquivo de imagem utilizado por alguns modelos de câmeras digitais. Os dados são gravados diretamente do sensor, sem processamento nem compressão, como ocorre no formato JPEG.

REDUTOR DE OLHOS VERMELHOS:
Recurso presente em boa parte das câmeras digitais compactas para minimizar o efeito dos olhos vermelhos que é provocado pelo clarão do flash. Quando ativado, o redutor dispara um pré-flash, que faz as pupilas contraírem - desse modo, as chances de a pessoa ser registrada com olhos vermelhos são menores.

RGB:
Iniciais de red (vermelho), green (verde) e blue (azul). É o sistema de cores presente em câmeras digitais e outros dispositivos eletrônicos, como monitores de computador e tvs. As três cores combinadas originam todas as demais.


SELETOR DE FUNÇÕES:
Também chamado dial mode, é o botão giratório presente em alguns modelos de câmeras digitais e que concentra suas principais funções. De acordo com o modelo da máquina fotográfica, é possível ajustar pelo seletor de funções os diversos modos pré-programados (fotos de pessoas, paisagens em movimento e à noite, por exemplo), além de escolher entre o modo automático e o semi-automático.

TIFF:
Formato de arquivo de imagem disponível em alguns modelos câmeras fotográficas digitais. Em relação ao JPEG, tem qualidade superior, mas seus arquivos consomem mais espaço na memória.

ZOOM:
Esse recurso permite regular a distância do objeto. Nas câmeras digitais, diferencia-se entre o ótico (aproximação pela objetiva) e o digital (aproximação eletrônica).


AB:
Admilson Barbosa

ABFP:
Admilson Barbosa, Fotógrafo Profissional

ABPF:
Admilson Barbosa Produções Fotográficas

FBI:
Fábrica Brasileira de imagem (Responsável: Admilson Barbosa)

                                              ADMILSON BARBOSA, FOTÓGRAFO...



                                                                     Deus é Fiel
                                                     
Quero compartilhar com vocês um pouco da minha  experiencia sobre fotografia...
                                         Admilson Barbosa, Fotógrafo

                                                     Valeu e até a próxima...

terça-feira, 7 de abril de 2015

O Fanatismo, político partidário.

            Quando o fanatismo vira associação ao crime.

         Tenho  99,99% de certeza que você, já ouviu pessoas falando que não foi o PT "Partido dos Trabalhadores", que inventou a CORRUPÇÃO...
         Eu, escuto essa frase quase todos os dias vejo postagem nas redes sociais de pessoas que possivelmente possa ter a mente perturbada e perigosa, isso é coisa séria. 
        A desorganização e a fragilidade de um governo, sem compromisso de honestidade e respeito e que "só tem revelado pessoas ligada a trilha do mal". Sinceramente não gosto dessas pessoas que vive falando que não foi o PT que inventou a corrupção essas são pessoas criminosas e muito perigosa,  elas se acham no direito de cometerem crimes contra a sociedade, quando se tem ou teve a oportunidade de reescrever a história do país de fazer tudo diferente e certo. 
        Seguindo bons exemplos o Bem resiste e o mal desiste; só assim teremos Compromisso de Honestidade e Respeito com a Nação. Admilson Barbosa, Fotógrafo


                                                                   Deus é Fiel

Política: Se você não leva a sério ou não toca no assunto algumas pessoas falam que  você é  ignorante, mas quando você fala sobre política e tem uma visão e ou opinião diferente você é mal-educado, então sou mal-educado sim mais com respeito. 

Admilson Barbosa, Fotógrafo  
Um Abraço! Valeu...


sábado, 4 de abril de 2015

Referências

                                               Admilson Barbosa, Referência em Fotografias





Admilson Barbosa, Referência em Fotografias

quinta-feira, 26 de março de 2015

Fotografia: Saiba Ver Para Fazer

                Saiba Ver Para Fazer Uma Boa Fotografia

          O sucesso de uma boa fotografia muitas vezes está na surpresa visual, conseguida de um ângulo fora do comum. 
          Eu, particularmente costumo a dizer que "O mundo da fotografia é um mundo pessoal. 
           Quando fotografamos, queremos expressar nossos sentimentos sobre as pessoas, a natureza e o mundo que nos cerca.             Sentimos imenso prazer quando conseguimos transmitir o que realmente desejamos." 

Deus é Fiel
Deus é Fiel
O primeiro passo para produzir melhores fotografias é saber ver boas fotografias. Mesmo antes de conhecer as técnicas básicas do funcionamento de uma câmera fotográfica, você já pode ir treinando. Assim como toda a arte, a fotografia requer prática, e quanto mais praticar, mais facilmente descobrirá oportunidades para fotografar cenas no dia-adia.

Deus é Fiel 
Deus é Fiel


Deus é Fiel


 A fotografia possibilita parar o tempo, retendo para sempre uma imagem que jamais se repetirá. Ela nos permite fazer registro extremamente detalhado de acontecimentos que ocorrem em frações de segundos, breves demais para que o olho humano possa apreciá-los adequadamente.   
                      Admilson Barbosa,Fotógrafo

                               Um Forte Abraço e Até Logo!!!

segunda-feira, 23 de março de 2015

Dicas de Fotografias com Admilson Barbosa

      Saber Ver uma fotografia é Tão Importante Quanto a Técnica
Ao olhar uma cena, o que você vê são coisas com volume. Tridimensional, que estão colocadas a diferentes distâncias de seus olhos. Os fundos e os primeiros planos confusos praticamente desaparecem e você pode olhar para toda a sua volta, reparando os objetos que o cercam, podendo se fixar nos objetos que não interessam.


          Deus é Fiel 



A câmera fotográfica fornece-lhe uma imagem diferente. Todas as coisas estão à mesma distância de seus olhos na superfície do papel e não tem volume. Você não pode saber o que está à volta dele Por exemplo, você está caminhando no meio da multidão, em direção de um amigo que você avistou mais adiante. Os rostos de outras pessoas podem passar-lhe quase despercebidos. No entanto, a câmera registra indiscriminadamente totalidade da cena. Por isso, com frequência, os principiantes surpreendem-se ao descobrirem elementos indesejáveis em suas fotografias.


 A Valorização de um Parque, A valorização da Natureza são locais de boas inspirações para boas fotografias...
                                                                   Deus é Fiel

          Deus é Fiel 
Qualquer fotógrafo que queira fazer fotos agradáveis e que chamem a atenção deve, uma hora ou outra, se preocupar com a composição e com o momento de suas fotos... 
Admilson Barbosa, Fotógrafo
Valeu! 
Um Abraço e até a próxima...

quarta-feira, 18 de março de 2015

A Câmera



            A câmera fotográfica e o olho são instrumentos ópticos de uma semelhança espantosa. A quantidade de luz que penetra no olho é controlada pela íris circular, cujas fibras musculares regulam a dilatação da pupila. A córnea e o cristalino focalizam a imagem invertida na retina. Por exemplo: quando você está lendo ou fazendo um trabalho à pequena distância dos olhos, a pupila se contrai levemente para perceber a imagem de forma nítida.
            Quando se deseja obter uma imagem de foco nítido, usa-se a câmera do mesmo modo: emprega-se a menor abertura, que pode ser usada com a luz ambiente. Note que a câmera também possui um diafragma de íris ajustável para controlar a quantidade de luz que entra pela abertura, e uma lente para focalizar a imagem no sensor (filme).
             A câmera registra imagem fixas, enquanto o olho registra uma série de imagens em sequência contínua.
Admilson Barbosa, Fotógrafo